-- Comportamento

O fim do amor romântico

Desde meados de 1940, influenciados pelos filmes de Hollywood, vivemos a era do mito do amor romântico, que é aquele amor calcado na idealização do outro; você conhece uma pessoa e atribui a ela características que ela não possui, se casa e passa vida inteira infernizando para ela se enquadrar naquelas características que você inventou.

Além de ser calcado na idealização, ele traz outras expectativas de ideais, como por exemplo, de que quem ama não olha para mais ninguém, não sente tesão por mais ninguém, que a amada vai te completar em tudo, satisfazer todas as suas necessidades, que os dois vão se transformar num só e por ai vai…

Mas esse tipo de amor está com os dias contados.

Vale lembrar que o amor é uma construção social e em cada período ele se apresenta de uma forma diferente e, foi só a partir do século XIX que ele entrou no casamento e as pessoas passaram a se casar por amor e não mais por interesse ou arranjos familiares.

Mas e por que o amor romântico esta saindo de cena? Os anseios contemporâneos são de busca da individualidade, a grande viagem do ser humano hoje é para dentro de si mesmo e da busca dos seus potenciais, e o amor romântico que prega o oposto da individualidade começa a dar sinais que está com os dias contados e com isso leva junto a sua maior característica que é a famosa exigência de exclusividade.

Diante de toda essa transformação que estamos passando, e ninguém está livre disso, as relações também tendem a tomar outra forma. Aposto que daqui algumas décadas as pessoas não vão estar mais dispostas a entrar numa relação a dois e a busca vai ser por relações múltiplas e mais livres.

E ai, você está preparado?

Os conteúdos dos artigos publicados são de inteira responsabilidade do(s) autor(es), não refletindo, necessariamente, a opinião do corpo ou do conselho editorial do blog.
Clube dos Caras

Clube dos Caras

1 Comentário

Clique para comentar

  • ” e passa A vida inteira”
    “mas esse tipo de amor está com os dias CONTADOS”
    “mas e POR QUE o amor romântico ESTÁ saindo de cena?”