Musica

Urgência urgentíssima!!!

Eis que, em tempos de pandemia, dilemas se constroem e carreiras, aos vastos pontos de vista, se corroem.

O Itaú lançou um edital a fim de auxiliar artistas em época de pandemia. Artistas que estão sem palco, sem cachê, sem couvert artístico e sem perspectiva.

Artistas estes mesmos que competem, claro, em níveis diferentes, com outros mesmos, do alto escalão, que recebem direitos autorais de músicas que tocam nos mais diversos veículos de mídia. Para estes, o dinheiro “pinga”, para aqueles, nem dinheiro de “pinga”!

Entre os selecionados para o “mecenato” do Itaú, estavam Zélia Duncan e Jards Macalé. A primeira não precisa de descrição, artista consagrada e estabelecida como um dos grandes nomes de nossa MPB, Jards, que também foi criticado, esqueci de mencionar este fato sobre Zélia, passeia pelo mundo das obras executadas por grandes intérpretes, portanto, está entre os que sobrevivem, creio eu.

A questão é mais profunda e delicada que a da Lei Rouanet, que, muito criticada por opositores, contempla artistas renomados e consagrados, em tempos de vaca gordas.

Em tempo de vacas definhando, por motivos óbvios, seria justo destinar esta verba a artistas consagrados?

O buraco não tem lugar certo.

Os famosos têm equipes que trabalham arduamente e precisam manter suas famílias. Estão parados também, porque, todo artista tem um background imenso! Desde roadies a assessores de marketing, técnicos de som e luz, figurinistas, maquiadores. O mundo dos espetáculos é imenso!

É uma discussão complexa e delicada.

Deixo a reflexão a cada um de vocês, certo ou errado?

Os conteúdos dos artigos publicados são de inteira responsabilidade do(s) autor(es), não refletindo, necessariamente, a opinião do corpo ou do conselho editorial do blog.
Juliano Oliveira

Juliano Oliveira

Cantor, empresário e produtor, Juliano Oliveira é vocalista da Banda Vitrola.

Filho de um dos grandes músicos da cidade, Neguinho, Juliano estudou canto na Universidade Tom Jobim em São Paulo e participa ativamente da cena cultural da cidade, promovendo eventos e integrando os artistas da região.

Respira música desde 1993, sua primeira apresentação profissional e, desde então, transformou seu dom em profissão.

Comentar

Clique para comentar