Cultura

Fernanda em Prólogo, Ato e Epílogo

Toda unanimidade é burra, dizia o sábio Nelson Rodrigues. Felizmente a grande diva do teatro brasileiro, Fernanda Montenegro, é quase uma unanimidade. Acho que todos se lembram do recente e infeliz episódio em que o ex-diretor da Funarte e ex-Secretário Especial de Cultura, o delirante nazista Roberto Alvim, a classificou como “sórdida” e de uma “canalhice abissal”.


A ira de Alvim foi por conta de um ensaio maravilhoso da fotógrafa Mariana Maltoni e do diretor criativo Luciano Schmitz para a edição de setembro de 2019 da revista 451. A foto de capa mostrava Fernanda amarrada em uma fogueira de livros, uma referência à iminente volta da censura e a perseguição aos produtores de cultura no país.
Na mesma época era lançado pela Companhia das Letras o livro “Prólogo, Ato, Epílogo”, escrito por Fernanda Montenegro com a colaboração de Marta Góes, em comemoração aos 90 anos de vida e 70 anos de profissão da atriz.


Trata-se de um livro autobiográfico mas não só. É também uma profunda aula sobre a história deste país e do muitas vezes espinhoso caminho das artes no Brasil, sobretudo no teatro, no cinema, no rádio e na televisão.
Estruturada em 3 partes a obra resgata em Prólogo a história de seus antepassados italianos e portugueses, mostrando o papel da família como fonte de força e inspiração. Já em Ato (a maior parte do livro), vamos acompanhá-la do anonimato à fama, do primeiro emprego no rádio até a consagração mundial com a indicação ao Oscar. E em “Epílogo”, a parte final onde ela compartilha conosco suas impressões a vida e o sucesso.
Além da sua trajetória nos palcos e nas telas, “Prólogo, Ato, Epílogo” mostra a Fernanda mulher, esposa e mãe, preservando a intimidade da família e criando os filhos sem os deslumbres da fama. Mostra ainda a Fernanda cidadã brasileira que participou ativamente do movimento Diretas Já (1984) e comentando os percausos da Cultura no Governo Collor.
Emocionante também são as passagens relembrando e reverenciando os amigos, atores e atrizes, que lhe serviram de modelo, entre eles: Grande Otelo, Bibi Ferreira e a francesa Henriette Morineau.


Esta é mais uma dica de leitura do Clube dos Caras em parceria com a livraria Casa das Letras. E também uma ótima sugestão para presentear neste final de ano. Livros são um presente que nunca morre e uma biografia como a de Fernanda Montenegro é, além de tudo, super inspiradora.

Colunista: Marco Antonio Andre

Instagram: @andremarcoantonio

Os conteúdos dos artigos publicados são de inteira responsabilidade do(s) autor(es), não refletindo, necessariamente, a opinião do corpo ou do conselho editorial do blog.
Marco Antonio Andre

Marco Antonio Andre

Publicitário e Produtor de Conteúdo, especializado em Artes, Cultura, Design, Arquitetura, Decoração e Veganismo.

Comentar

Clique para comentar