Arquitetura

Edifício Moutran

Não é imperceptível para quem caminha ou anda de carro pelo centro de Jundiaí que alguma coisa mudou na paisagem urbana da cidade, um grande painel da autoria da artista Jundiaiense Bianca Foratori foi instalado na empena desse edifício.

Essa iniciativa faz parte do projeto Festival Paredes Vivas com patrocínio da Klabin, segundo o que eu levantei a artista homenageou a Serra do Japi trazendo à importância da sua preservação a razão de ser uma figura indígena é que eles sempre habitaram e guardam o nosso território.

Primeiro acho a iniciativa bem legal e quero parabenizar todos os envolvidos, precisamos desse tipo de intervenção e temos outros prédios que podem ser “ocupados” com a mesma proposta, deixando assim o centro de Jundiaí como um museu a céu aberto, como vem acontecendo em varias cidades pelo mundo exemplo disso é São Paulo que com a iniciativa da Secretaria Municipal de Cultura que tem o programa MAR (Museu de Arte de Rua), se você caminhar pela cidade de São Paulo poderá observar várias empenas ocupadas.

Necessariamente a intervenção não precisa ser uma pintura, Jardins Verticais também podem ser instalados e mais recente algumas intervenções com projeção em vídeo de manifestação artística e política. Acredito que esse tipo intervenção tira a cidade da monotonia dando movimento para aquilo que é estático, se você observar quando caminhamos não vemos só a fachada frontal de um edifício onde geralmente recebe todos os cuidados arquitetônicos deixando cego as suas laterais.

Caminhar pela cidade pode ser um passeio bem interessante, ainda mais se for de fim de semana sem movimento e aglomeração (importantes nesses tempos), você consegue ver coisas que geralmente ficam despercebidas, casas de diversas épocas e estilos, prédios que outrora foram pujança e hoje com certo ar decadentes eu adoro edifícios decadentes me trazem nostalgia viajo em pensamento de como teria sido quem morou visitaria todos e Jundiaí tem vários lindos.

Mas voltando a nossa “ocupação”, que os proprietários e síndicos não se assustem com esse termo, aqui não é político pelo contrario o Jornal Estado de Paulo publicou que essa iniciativa pode ser uma fonte de renda para todos os envolvidos e no momento estão sendo executados em vários edifícios em São Paulo.  Eu não consegui levantar se outros edifícios iram receber o mesmo tratamento, mas espero que em breve subindo ou descente qualquer rua da cidade eu depare com outra boa surpresa.

Os conteúdos dos artigos publicados são de inteira responsabilidade do(s) autor(es), não refletindo, necessariamente, a opinião do corpo ou do conselho editorial do blog.
Einar Segura

Einar Segura

Arquiteto urbanista profissional liberal, 60 anos ,35 de profissão, atua na área de projetos residências e corporativos.