Politica

De boas intenções, o inferno está cheio.

Nos últimos dias recebi dezenas de mensagens de amigos e também de algum seguidores comentando a fala da Xuxa, que se diz vegana e defensora dos animais, pregando a utilização de pessoas encarceradas para testes da indústria química (farmaceutica, cosmética, agro, etc). A todos eu respondi com a célebre frase: “Parem de transformar idiotas em celebridades”.
Antes de seguir com o texto, quero lembrar que ser vegano não faz de ninguém um santo. Dizem que Hitler era vegetariano e demonstrava interesse pelos animais e pelo meio ambiente.
O escritor francês André Gide disse que “As coisas apenas valem pela importância que damos a elas”. O grande problema não é a Xuxa falar idiotices (o que não deveria surpreender ninguém) e sim a dimensão que as coisas que ela fala tomam junto a um número expressivo de pessoas que a têm como “rainha”.


A preocupação da ex apresentadora de programas infantis tem seus fundamentos já que ainda hoje milhares de animais sofrem as mais terríveis formas de violência e tortura em laboratórios de testes. Só para se ter uma ideia, das 63 grandes marcas mundiais de cosméticos, apenas 9 abandonaram os testes em animais.
Contudo, não se resolve esse terrível problema transferindo a violência e tortura para humanos em situação de cárcere. Pelo contrário, isso aumentaria ainda mais a violência sobre pessoas negras, visto que elas correspondem a 85% da população prisional.
No Twitter (ah, como eu adoro o Twitter), Xuxa Meneguel foi automaticamente rebatizada como Xuxa Mengele, pela proximidade de seus pensamentos aos de Josef Mengele, o Anjo da Morte do Nazismo, famoso pelas atrocidades cometidas em nome da ciência, fazendo os mais absurdos experimentos com seres humanos.
Tá, a Xuxa talvez não tenha pensado nas consequências de suas ideias (oh, que surpresa!) mas esse é outro problema, pensar é um exercício praticado por cada vez menos pessoas.


Uma prova disso foi a fala quase simultânea da Deputada Estadual Janaína Paschoal que, diante da falta de leitos nos hospitais para as vítimas da Covid-19, declarou que devemos pensar em privilegiar os mais jovens e deixar morrer os mais velhos.
Eleita em 2018 com 2 milhões de votos, a deputada ao proferir tamanha imbecilidade talvez não tenha imaginado as consequências de seu discurso eugenista – filosofia que aliás inspirou a teoria de “raça pura” dos nazistas.
Assim como Xuxa Mengele, Janaína também foi exterminada nas redes sociais mas, ao mesmo tempo, ambas tiveram milhares de likes e pessoas que “pensam” como elas, pessoas que compartilham ideias racistas, classistas, eugenistas…. e até fascistas.
É espantoso mas não é nada surpreendente. Ambas representam muito bem uma elite BBB (branca, burguesa e burra), capaz de cometer todo tipo de crime em nome da tradição, da família e da propriedade, que defende a ditadura militar, que ataca as artes e a cultura, que elege psicopatas, etc, etc e etc.


Não podemos aceitar que esse tipo de pensamento nos guie como sociedade, muito menos como seres humanos. Não podemos continuar dando voz e poder a pessoas que, mesmo “sem pensar”, contribuem para agravar a situação daqueles que vivem fora de suas bolhas.
Para finalizar este texto em “homenagem” a esses tótens da imbecilidade, cito o Senador cearense Eduardo Girão, autor do Estatuto da Gestante, também conhecido como PEC do Bolsa Estupro, que prevê uma renda para mulheres estupradas que engravidarem e optarem por ter o bebê e dá o direito ao estuprador de reconhecer a paternidade.
Preciso comentar? Parem de transformar idiotas em celebridades ou em congressistas eleitos.

Os conteúdos dos artigos publicados são de inteira responsabilidade do(s) autor(es), não refletindo, necessariamente, a opinião do corpo ou do conselho editorial do blog.
Marco Antonio Andre

Marco Antonio Andre

Publicitário e Produtor de Conteúdo, especializado em Artes, Cultura, Design, Arquitetura, Decoração e Veganismo.